DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Começa julgamento de Hildebrando por crime da motosserra

Deputado federal cassado, condenado por outros homicídios, é acusado de comandar grupo de extermínio

estadão.com.br,

21 de setembro de 2009 | 14h21

Começou nesta segunda-feira, 21, no Acre, o julgamento do ex-deputado federal Hildebrando Pascoal pelo homicídio do mecânico Agilson Santos Firmino, conhecido como "Baiano".

 

As testemunhas já começaram a ser ouvidas, segundo informações da TV Aldeia. A sessão deve ser interrompida às 22 horas e se estender pelos próximos três dias. A expectativa é de que ocorram protestos de entidades ligadas aos direitos humanos. O julgamento começou por volta das 10 horas, horário de Brasília.

 

Hildebrando será submetido a júri popular. Ele é acusado de comandar um grupo de extermínio que agia no Acre entre 1995 e 1999. Além de Hildebrando, também são acusados do crime Pedro Pascoal Duarte Pinheiro Neto, Alex Fernandes Barros e Adão Libório de Albuquerque.

 

Antes mesmo de seu início, o julgamento de Hildebrando já causava polêmica. O Ministério Público reclamava da medida do juiz Leandro Gross, que definiu em seis horas o tempo para os réus fazerem sua defesa e a acusação sua denúncia. O que o MP alega é que o ´Código de Processo Penal prevê no máximo duas horas e meia para ambos os lados, mas a decisão de Gross foi mantida.

 

Hildebrando Pascoal também já foi condenado pela Justiça Federal, em Brasília, a 18 anos de prisão, pelo assassinato do soldado do Corpo de Bombeiros, Sebastião Crispim. Hildebrando está preso desde 1999, no Acre. Ele já foi condenado por um outro homicídio, por tráfico de drogas, formação de quadrilha, posse ilegal de arma, homicídio de um policial civil e crime contra o sistema financeiro nacional, por usar nomes de "laranjas" para movimentar dinheiro.

 

Barbárie

 

O assassinato de "Baiano" é um dos episódios mais grotescos que já aconteceram envolvendo um político eleito no Brasil. Após a investigação do crime cometido pela quadrilha de Hildebrando Pascoal, o Ministério Público divulgou detalhes macabros do crime. "(A vítima estava com) os olhos perfurados, braços, pernas e pênis foram amputados com a utilização de uma motosserra, além de ter um prego cravado em sua testa".

 

O que motivou a barbárie de Hildebrando contra "Baiano", segundo o MP, seria o fato de que o patrão da vítima teria sido o mandante do assassinato de Itamar, irmão do ex-deputado federal. Hildebrando teria sido morto por afirmar que não sabia onde estava seu patrão. Seu corpo foi jogado em uma avenida da capital Rio Branco.

 

Afirmar que não sabia do paradeiro de outra pessoa foi também o motivo para que Hildebrando e seus comparsas matassem outro membro da família de "Baiano": seu filho. O garoto de 13 anos disse não saber do paradeiro de seu pai e também foi morto. Este crime será julgado à parte.

 

Além do crime da motosserra, Hildebrando já foi julgado e condenado por vários outros crimes, somando um pena de cerca de 80 anos. A Justiça responsabilizou o ex-deputado federal por dois homicídios, tráfico internacional de drogas, formação de quadrilha, crime eleitoral por trocar cocaína por votos e crimes financeiros.

 

Com informações da Agência Brasil

Tudo o que sabemos sobre:
Hildebrando PascoalAcre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.