Começa em SP temporada de caça ao <i>Aedes</i>

Começa neste sábado a temporada decaça ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Atividades em todo o País marcam o Dia D Nacional de Combate àDengue. Na capital paulista, haverá operações cata-bagulho, caminhadas e até enterro simbólico do mosquito na Vila Prudente. O objetivo é chamar a atenção da população para a necessidade deeliminar os criadouros do inseto.É hora de fazer uma vistoria completa em casa em busca de criadouros do inseto. Mas a vistoria precisa se transformar em hábito. "Eliminar os criadouros deve ser como escovar os dentes", diz Pedro Bonequini Júnior, gerente do Projeto deCombate à Dengue da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo. "É assim que podemos manter a dengue controlada no verão."O mosquito Aedes já se adaptou e precisa de pouca água para colocar seus ovos. "Casca de ovo e tampinha de garrafa são suficientes para se transformarem em criadouro do mosquito", alerta Bonequini. Por isso, todo recipiente capaz de guardar água precisa ser eliminado.Os últimos casos de dengue com transmissão local na cidade foram registrados em julho. Desde o começo do ano, a capital tem 2.210 casos confirmados da doença - 429 transmitidosna capital (são os chamados casos autóctones) - e 1.781 importados.Bonequini Júnior reforça que, quanto mais a população participar da eliminação dos criadouros do mosquito, maior será o sucesso do controle da dengue. "Temos de ganhar a consciência das pessoas para impedir o avanço do mosquito e da doença", completa o vereador Gilberto Natalini (PSDB). "Queremos que cada um atue dentro de sua casa e também dê uma bisbilhotada do bem no vizinho."Neste sábado, 130 voluntários participaram de uma caminhada pelo Centro da cidade, distribuindo planfletos e cartazes com informações sobre a dengue. A atividade foi organizada peloComitê Civil contra a Dengue, formado por organizações da sociedade, como Associação Comercial de São Paulo, Federação dasIndústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Força Sindical, Associação Paulista de Medicina (APM) e Conselhos Regionais de Odontologia e Enfermagem.Febre, dor no corpo e nos olhos são os trêsprincipais sintomas da dengue. "É como uma gripe forte, sem sintomas respiratórios", explica Hélio Vasconcellos Lopes, presidente do Departamento de Infectologia da APM. O doente fica muito abatido por dois ou três dias.Há quatro tipos de vírus que provocam dengue. Quem pega o tipo 1 fica imune só a esse vírus, mas pode pegar a doença de novo, provocada pelos tipos 2, 3 ou 4. No verão passado, o vírusque mais circulou foi o tipo 2."As pessoas que pegam dengue pela segunda vez têm mais risco de desenvolver a forma hemorrágica da doença", explica Lopes. Mas a incidência da forma mais grave da dengue é pequena. Segundo o infectologista, em cada 2 mil casos da doença, um é hemorrágico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.