Começa devassa do desvio de verbas do FAT no MS

As denúncias do Ministério Público Federal sobre desvio de verbas do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador) começaram a ser investigadas por auditores do Ministério do Trabalho que chegaram nesta quarta-feira de Brasília.Secretários do Governo Zeca do PT e vereadores do mesmo partido, que utilizaram dinheiro do fundo na última campanha política, estão entre os denunciados.Os auditores prometem fazer uma "varredura geral" nas contas que envolvem o FAT. As investigações começaram pela superintendência da secretaria estadual de Assistência Social, Cidadania e Trabalho, responsável pela distribuição da verba.Em seguida as apurações serão concentradas nos repasses feitos ao Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, que recebeu a maior parte do dinheiro liberado.Também a Cooperativa de Materiais Básicos de Construção deverá ser investigada.Quatro entidades particulares de promoção social serão escolhidas aleatoriamente para passar pela auditoria.Os auditores são Lylian Dutra, que coordena a equipe, Eder Nober Praxedes e Vlaudecir Antônio Goullart.Nesta quinta-feira à noite chega a Campo Grande mais um auditor, Marcos Carvalho Costa.Também vai participar das investigações Paulo Marin, auditor da Delegacia Regional do Trabalho em Campo Grande. As investigações devem durar 15 dias. No final, haverá um relatório geral, que será encaminhado para a Secretaria de Política Pública de Emprego, em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.