Começa bloqueio a produtos canadenses no Porto de Santos

O boicote ao desembarque de produtos oriundos do Canadá no porto de Santos começou nesta quinta-feira, às 6 horas, com um protesto liderado pela Intersindical Portuária - entidade que congrega todos os sindicatos de trabalhadores do porto -, que realizou uma manifestação em frente ao Armazém 23. Se depender dos 10 mil portuários santistas, as cargas procedentes do Canadá, excetuando-se medicamentos, produtos perecíveis e papel de imprensa, permanecerão retidas nos navios que atracarem no porto, sem qualquer movimentação, até que o governo canadense suspenda o embargo às importações de carne brasileira. O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, veio a Santos para acompanhar de perto o protesto dos portuários. "Tinha que partir de Santos, o mais importante porto do Brasil, um movimento dessa envergadura, fazendo jus à tradição de lutas dos trabalhadores santistas", disse ele. Para o diretor do Sindicato dos Estivadores, Rodnei Oliveira da Silva, enquanto não houver uma solução de consenso entre o Brasil e o Canadá, os trabalhadores portuários vão boicotar o desembarque de produtos canadenses. A expectativa maior era quanto à chegada do navio Pindos, de bandeira das Ilhas Cayman, procedente de Vancouver (Canadá), que deveria atracar na noite desta quinta-feira no Terminal de Fertilizantes (Tefer), na margem esquerda do porto, trazendo 48 mil toneladas de enxofre para as indústrias de fertilizantes. Em apoio à decisão dos trabalhadores, a direção da Ultrafértil, uma das importadoras, anunciou que não deverá descarregar o navio no cais próprio, instalado junto à unidade de Cubatão. O Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp) advertiu que o boicote à descarga de determinado produto de origem canadense só vai prejudicar as empresas ou determinado segmento econômico, uma vez que o produto já foi pago por intermédio de carta de crédito. "O Sopesp também hipoteca completa solidariedade às autoridades na defesa dos interesses econômicos do País. Precisamos, contudo, agir com a devida cautela para que, ao contrário do aparente apoio ao movimento, não venhamos a prejudicar considerável parcela do comércio, da indústria e da agricultura", afirmou o diretor-executivo, José dos Santos Martins. Segundo a Alfândega de Santos, as importações de produtos canadenses em 2000 atingiram 1,1 milhão de toneladas, equivalentes a 2,7% das mercadorias movimentadas pelo porto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.