Começa a sessão na Câmara para decidir sobre o mínimo

Começou pontualmente, ao meio-dia, a sessão plenária para a votação da medida provisória do salário mínimo. Mas meia hora antes do início dos trabalhos cerca de 30 parlamentares, a maioria de oposição, já discutiam na mesa diretora em torno de uma pré-lista de inscrição para defender ou criticar a proposta do governo. Já são 40 os inscritos. Segundo o vice-líder do PSDB, deputado Alberto Goldman, a oposição ainda não definiu se fará obstrução para esticar a sessão e desgastar os governistas. "Eles (os governistas) já estão expostos. Não tenho certeza se a obstrução será uma boa tática", afirmou. Segundo ele, com a divulgação do valor da cesta básica de maio em R$ 168,8 o salário mínimo proposto pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva representa um aumento de 2% no poder de compra, nesse ano e meio de governo. Já durante os oito anos do governo Fernando Henrique Cardoso o aumento médio anual do poder de compra do mínimo em relação a cesta básica foi de 4,5%, segundo o tucano. Independente das táticas da oposição, os governistas querem reunir em plenário no mínimo 440 deputados e, segundo o líder do governo, deputado Professor Luizinho (PT-SP), a idéia é aprovar a MP com quórum constitucional beirando os 340 votos favoráveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.