Combate à corrupção será prioridade no MPF, diz Raquel Dodge em sabatina

Indicação da subprocuradora da República para chefiar o Ministério Público Federal é avaliada por senadores na Comissão de Constituição e Justiça

Thiago Faria, O Estado de S. Paulo

12 de julho de 2017 | 11h22




BRASÍLIA - A subprocuradora da República Raquel Dodge, indicada para chefiar o Ministério Público Federal, afirmou nesta quarta-feira, 12, que o combate à corrupção continuará a ser a prioridade da entidade. Antes de responder a perguntas na Comissão de Constituição e Justiça (CC), Raquel fez uma breve apresentação, de cerca de 10 minutos.


“A proteção do interesse público e o enfrentamento da corrupção continuam a ser prioridade no MPF e terão o apoio necessário”, afirmou Raquel. “A corrupção desvia recursos públicos de serviços essenciais, como educação, saúde, transporte.”


Ao menos 20 senadores já se inscreveram para fazer perguntas a Raquel durante a sabatina. Na plateia, além de familiares, estão colegas de Raquel do Ministério Público e até o prefeito da sua cidade natal, Morrinhos, no interior de Goiás.


A exemplo do que disse nos encontros com senadores antes da sabatina, Raquel destacou em sua apresentação que terá uma atuação imparcial no Ministério Público.

“Buscarei agir com firmeza, clareza e confiança. E com a imparcialidade que sempre tive ao longo da minha careira. Pretendo realizar com temperança e serenidade um projeto de gestão em que ninguém esteja acima da lei, e ninguém esteja abaixo da lei.”

Tudo o que sabemos sobre:
Raquel DodgeSenado FederalMPF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.