Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Comandante do Exército, Pujol cai de cavalo, quebra perna e passa por cirurgia

General praticava equitação quando sofreu acidente; militar foi submetido a cirurgia e passa bem

Vinícius Valfré, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2020 | 16h52
Atualizado 28 de novembro de 2020 | 23h47

BRASÍLIA – O comandante do Exército, general Edson Pujol, sofreu um acidente neste sábado, 28, enquanto praticava equitação no Regimento Dragões da Independência, em Brasília.

O militar sofreu uma fratura no fêmur e foi internado no Hospital das Forças Armadas, onde foi submetido a uma cirurgia. Segundo o Centro de Comunicação Social do Exército, a intervenção foi bem sucedida. “Tendo sido essa fratura a única consequência do acidente, o Comandante do Exército, tão logo receba alta do hospital, deve convalescer na residência”, declarou a assessoria do Exército.

O local de equitação é frequentado regulamente pelo vice-presidente Hamilton Mourão.

Pelo menos duas vezes na semana, os generais mais influentes do governo se reúnem para treinar saltos no 1.º Regimento de Cavalaria de Guardas, a 20 quilômetros do Palácio do Planalto. Eles madrugam para ficar ali por cerca de uma hora, período em que tentam ultrapassar obstáculos de até 1,10 metro de altura.

Os cavalos montados pelos generais do governo pertencem à unidade militar. Mas cabe aos oficiais da reserva prepará-los para o adestramento e pagar pelos gastos. Mourão, por exemplo, desembolsa cerca de R$ 500 por mês. A Força usa os cavalos em competições, em escoltas, cerimônias da Presidência e, se for preciso, em situações de distúrbios e confusões nas ruas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.