Reprodução/Acervo Estadão
Reprodução/Acervo Estadão

AO VIVO

Eleições: 2020: notícias, resultados e apuração do 2° turno

Comandante da PM do Ceará levou um tiro em paralisação de policiais em 1997

Quase 400 policiais aderiram ao movimento e houve conflito durante uma passeata no centro de Fortaleza; veja no acervo

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2020 | 10h36

BRASÍLIA - Não é a primeira vez que a Polícia Militar do Ceará atira em uma autoridade durante conflito em uma paralisação da categoria. No dia 29 de julho de 1997, 376 policiais aderiram ao movimento durante uma passeata no centro de Fortaleza, gerando um grande conflito entre os PMs cearenses e a tropa do Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) do Estado.

Tiros foram disparados e um deles atingiu, pelas costas, o então comandante-geral da Polícia Militar, coronel Mauro Benevides. Foi acertado no ombro. O tenente-coronel Antonio Oliveira Ferreira foi atingido na perna. Além disso, sete pessoas ficaram feridas. Relembre o episódio aqui.

Na quarta-feira, 19, o senador licenciado Cid Gomes (PDT-CE)  foi atingido por dois disparos de arma de fogo ao tentar romper um bloqueio de policiais amotinados com uma retroescavadeira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.