Com Serra, Kassab inaugura obra viária

Governador e prefeito trocaram elogios no evento

Roberto Almeida, O Estadao de S.Paulo

28 de junho de 2008 | 00h00

Pela segunda vez em uma semana, o prefeito e candidato à reeleição Gilberto Kassab (DEM) e o governador José Serra (PSDB) discursaram no mesmo microfone. Desta vez, porém, em cima de um palanque ladeado por televisores de plasma e caixas de som de alta potência, anunciando a entrega de um complexo viário na zona leste de São Paulo. Entre as cifras da obra, rasgaram elogios um ao outro em clima eleitoral.A estrutura do lançamento foi um espetáculo à parte, com mestre-de-cerimônias, show de caminhões da Fórmula Truck e até mesmo a presença do ator Carlos Miranda no papel que o consagrou no seriado Vigilante Rodoviário. Miranda, vestido a caráter, cumprimentou prefeito e governador. Em seguida, foi o primeiro a passar pela obra a bordo de seu Simca Chambord 1959. Serra e Kassab estavam mais à vontade, ao contrário da saia-justa que tomou conta do último evento em que estiveram lado a lado, um dia após o lançamento da candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB). Na ocasião, eles anunciaram um financiamento bilionário para a expansão do metrô sem trocar palavras em público. Não havia investimentos da prefeitura.No palanque, Kassab assumiu o microfone com o pé esquerdo: saudou os presentes com um sonoro "bom dia" às 16 horas. Logo, emendou um discurso exaltando o desenvolvimento da região e aproveitou para destilar os números de sua gestão. Ao final, um afago: "José Serra, obrigado por seu trabalho, esforço e dedicação."Segundo Serra, a construção do complexo viário se arrastava havia 20 anos e só saiu do papel pelas mãos do governo do Estado. "A obra era tocada pela prefeitura da capital e o governo do Estado não participava. Nós introduzimos o governo do Estado na obra", disse. No total, foram investidos R$ 368 milhões - R$ 185 milhões do Estado, R$ 119 milhões da prefeitura e R$ 64 milhões da União.Kassab tem como meta entregar mais quatro unidades de Assistência Médica Ambulatorial (AMA) na semana que vem. "O ritmo é normal", garante. A partir de 6 de julho, ele não poderá mais fazer inaugurações.Enquanto isso, sua campanha ganha reforços. O ex-secretário-adjunto de Esportes do governo do Estado, Rubens Jordão, será o coordenador-geral. A coordenadora do comitê feminino será a deputada Zulaiê Cobra (PHS), apesar de seu partido apoiar Alckmin. Nos bastidores, o marqueteiro com nome mais forte para a campanha é o jornalista Luiz Gonzalez.Kassab convidou ontem subprefeitos da zona sul para um café da manhã na sua casa. O objetivo: pedir ajuda na campanha. Dos nove subprefeitos da região, seis são do PSDB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.