'Com Renan na presidência, não podemos ir além', diz Virgílio

Além do líder do PSDB, Jefférson Peres ocupou a tribuna e voltou a pedir a saída do presidente do Senado

Cida Fontes, do Estadão,

09 Outubro 2007 | 16h27

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio, voltou a pedir, da tribuna, a saída do presidente da Casa, Renan Calheiros (PSDB-AL)e disse que o Senado "não pode ir além" com a sua permanência na Casa.   Veja Também:    Em nota, Renan nega espionagem contra senadores da oposição Cronologia do caso  Entenda os processos contra Renan  Assessor de Renan nega esquema espionagem contra senadores  Renan está levando Senado 'à sarjeta', diz Jarbas Suposta espionagem contra senadores reduz apoio a Renan   "Estou indisposto com a idéia do senhor na presidência da Casa. Chegamos a um ponto que não podemos mais ir além".   O senador Jefferson Péres também ocupou a tribuna do Senado nesta terça-feira, 9, para mais uma vez pedir a saída de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência da Casa. Péres foi direto ao ponto e resumiu seu pedido em uma única frase: "Renan não tem mais condições de presidir o Senado Federal", e deixou a tribuna. A expectativa é que vários senadores - da base e da oposição - façam discursos contra Renan na tarde desta terça.   Também nesta terça, os líderes de cinco partidos decidiram obstruir totalmente os trabalhos do Senado se o Conselho de Ética não apresentar, até 2 de novembro, uma solução para todos os processos de quebra de decoro parlamentar contra Renan.   Depois do discurso que o senador Demóstenes Torres (DEM-GO)fará ainda nesta terça em plenário, o PSDB e o DEM entregarão nova representação na mesa do Senado contra Renan. Desta vez, o senador é acusado de usar o cargo para intimidar adversários políticos e, para tanto, teria montado um esquema de espionagem contra os senadores Demóstenes e Marconi Perillo (PSDB).   O prazo de 2 de novembro foi fechado em reunião que teve a participação de líderes do PSDB, DEM, PSB, PT, PDT e PMDB. "A condição de Renan presidir o Senado hoje é nenhuma", afirmou o líder do DEM, José Agripino. "Ele não tem condições nenhuma de presidir o Senado", repetiu Senador Renato Casagrande (PSB-ES). Os senadores concluíram, no encontro, que a permanência de Renan é insustentável.   Texto atualizado às 16h50

Mais conteúdo sobre:
Renan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.