Com proteção policial, UFRJ começa vestibular amanhã

Começa neste domingo o vestibular mais conturbado da história da maior universidade federal do País, a do Rio de Janeiro (UFRJ). Entidades estudantis anunciaram que farão manifestações contra a decisão judicial que manteve a data dos exames, nos principais locais de prova espalhados pelo Estado, que receberão cerca de 56 mil candidatos.A Polícia Militar deixará de prontidão nos quartéis mil policiais, que serão acionados em caso de incidentes graves. Um total de 135 PMs estará nas ruas, especialmente para garantir a realização do concurso. Apesar da insistência da União Estadual dos Estudantes (UEE) e da Associação de Pais e Alunos do Estado do Rio (Apaerj) de tentar adiar o vestibular na última hora, por meio de ações judiciais, o plantão de hoje na Justiça Federal, que começou ao meio-dia, não havia registrado mudança na data do exames até a tarde - ficando mantida, assim, a decisão do presidente do Tribunal Regional Federal (TRF) da 2.ª Região, o desembargador Arnaldo Esteves Lima, que, na quinta-feira (25), cassara a liminar da 5.ª Vara Federal do Rio que adiava o exame por causa da greve dos professores, que completa amanhã 68 dias. As entidades tentariam interpor mandados de segurança para adiar as provas, sob alegação de que a integridade física e psicológica dos alunos estaria em risco. Segundo a Apaerj, os vestibulandos que estudam em escolas federais estão prejudicados com a falta de aulas. O comandante-geral da PM, coronel Wilton Soares Ribeiro, disse que a operação para garantir a tranqüilidade nos locais de prova começará às 4 horas - 5 horas antes do início dos exames. "Não queremos criar alarde. Estamos falando de estudantes que têm um sonho na vida. Só queremos permitir que eles possam realizar este sonho", afirmou Ribeiro.A preocupação da polícia é com estudantes exaltados que tentem impedir a entrada dos vestibulandos nos locais de prova. Fora da capital, em Niterói e em São Gonçalo, no Grande Rio, o policiamento nos pontos de prova será reforçado. O número de manifestantes deverá ser de 500 a mil, que distribuirão panfletos contra a manutenção da data do vestibular da UFRJ. O principal foco dos protestos será a Cidade Universitária, na Ilha do Fundão, zona norte do Rio. Lá, são esperados 9.233 candidatos, em cinco pontos diferentes. No Centro de Ciências Matemáticas e da Natureza (CCMN), haverá a maior concentração.No campus da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), no Maracanã, também na zona norte, onde há 5.566 inscritos, também existe probabilidade de atos estudantis. A UEE e o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFRJ informam que a ação será pacífica. "Será uma manifestação como qualquer outra", disse o presidente da UEE, Emerson Carvalho. A entidade quer que os estudantes que se sintam prejudicados pela confusão no vestibular entrem na Justiça pedindo a anulação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.