Com 'projetos bomba' em pauta, Dilma janta com Maia

A presidente Dilma Rousseff recebe nesta terça-feira para um jantar, no Palácio da Alvorada, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS). A confirmação foi feita pela ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, durante café da manhã com a imprensa, quando fez um balanço, classificando como "positivos" os resultados das votações no Congresso neste ano.

TÂNIA MONTEIRO E RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

03 de julho de 2012 | 12h36

O governo quer evitar que sejam aprovados no Congresso temas polêmicos, principalmente que impliquem aumentos salariais, em momento delicado de combate à crise, como a redução de jornada de trabalho dos enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, que foi incluído na pauta, por Marco Maia, na semana passada.

Mas a ministra Ideli tentou evitar confronto com o Congresso, acentuando que não há problema nenhum de os parlamentares quererem apresentar propostas. "Não é ilegítimo nem incorreto o Congresso Nacional pautar determinados assuntos e colocar em debate", minimizou Ideli, ressalvando, no entanto, que é preciso tomar cuidado com projetos que possam ter impactos negativos no orçamento, "evitando que os efeitos na crise nos afete e impeça que o Brasil continue crescendo e distribuindo renda".

Há uma série de "projetos bomba" em tramitação, muitos deles apoiados por parlamentares, insatisfeitos com o fato de o governo não ter liberado a quantidade de emendas que esperavam ou não ter anunciado nomeações esperadas por partidos da base aliada. Marco Maia, nos bastidores, tem reclamado do Planalto em relação às duas questões e o governo quer evitar maiores problemas, no momento em que está adotando medidas para evitar comprometimento do orçamento e atrapalhar o combate à crise no País.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaMaiajantarvotações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.