Com pouco tempo de televisão, PV quer renovar ideia de campanha

Publicitário responsável garante que propaganda passará longe do modelo tradicional

Daiene Cardoso, Agência Estado

19 Julho 2010 | 10h27

SÃO PAULO - Com um minuto e 24 segundos de tempo na publicidade eleitoral gratuita, o PV da presidenciável Marina Silva promete "inovar" o conceito de campanha em rádio e TV. A estratégia da equipe do publicitário Paulo de Tarso Santos será "vender" Marina com uma linguagem diferenciada e direta. "É a campanha mais linda que já fiz na minha vida", afirma Santos, responsável pelas campanhas do PT em 1989 e 1994. A publicidade começará a ser veiculada no dia 17.

 

De acordo com ele, a publicidade eleitoral da candidata do PV a presidente passará longe do modelo tradicional de propaganda, sem "fala povo" e com jingles diferentes. "É uma linguagem diferente de tudo o que já se viu", promete um dos coordenadores da campanha, Marco Antonio Mroz, sem, no entanto, revelar detalhes da estratégia. A equipe, formada por 40 profissionais da área de publicidade e rádio e televisão, ainda discute como apresentar a plataforma de governo de Marina num tempo tão reduzido, mas sabe que poderá explorar a imagem de artistas e intelectuais que a apoiam.

 

Segundo coordenadores, uma das presenças garantidas na comunicação de campanha é a do ex-ministro da Cultura e cantor Gilberto Gil. Nos últimos dias, Marina começou a contar com um grupo de cinegrafistas para registrar as cenas dela em campanha nas ruas. Conforme assessores, Marina deixou claro que não aceitará a interferência de marqueteiros na forma como se apresentará aos eleitores, nem vai tolerar sugestões de mudança no estilo pessoal.

 

Responsável por algumas inserções do partido no primeiro semestre, o cineasta Fernando Meirelles não participará diretamente da campanha, mas a equipe da Tarso Institucional terá a criatividade dele para fazer com que as curtas mensagens sejam eficientes e de grande impacto. "Era bom ter mais tempo, mas vamos trabalhar com o que temos. Os melhores spots (mensagem publicitária breve veiculada em rádio ou televisão) são os feitos em 15 e 20 minutos", aposta o presidente estadual do PV do Rio, Alfredo Sirkis.

 

O limite de gastos da campanha da candidata do PV foi fixado em R$ 90 milhões, mas o publicitário não revelou quanto deste montante vai para os anúncios em rádio e TV. Marina estabeleceu como limite metade do que o candidato a presidente José Serra (PSDB) pretende desembolsar (R$ 180 milhões) e bem menos que os R$ 157 milhões que a petista Dilma Rousseff informou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na TV e no rádio, Dilma terá dez minutos e 30 segundos em cada bloco de 25 minutos. Já Serra ficará com sete minutos e 11 segundos.

Mais conteúdo sobre:
PV Marina Silva campanha Mroz

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.