Com novo visual, Dirceu chega para depor sobre mensalão

Além do ex-ministro da Casa Civil, deve depor nesta quinta-feira o ex-secretário geral do PT, Silvio Pereira

Clarissa Oliveira, de O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2008 | 14h03

O ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu chegou por volta das 13h30 ao Fórum Criminal da Justiça Federal, na Capital paulista, onde prestará depoimento no processo aberto para apurar o envolvimento de 40 pessoas no esquema do mensalão. Dirceu que chegou acompanhado de seu advogado, José Luís Oliveira Lima não conversou com jornalistas que o aguardavam no local.   Veja Também:    Dirceu vai contestar credibilidade de Roberto Jefferson  Em Recife, Dirceu passa por operação para implantar cabelos Os 40 do mensalão   Esta foi a primeira vez que Dirceu apareceu em público após a operação de implante capilar realizada recentemente. Ainda visíveis, os sinais da cirurgia abrangem a parte frontal da cabeça, onde há sinais de sua calvície.   Além de Dirceu devem depor nesta quinta-feira, o ex-secretário geral do PT, Silvio Pereira e o sócio da Corretora Bonus Banval, Enivaldo Quadrado, que ainda não chegaram ao local.   O ex-secretário geral do PT, que chamou a atenção no escândalo do mensalão por ter aceito um jipe Land Rover de presente, chegou  ao Forum Criminal da Justiça Federal em São Paulo, por volta das 14 horas. Silvinho foi o único dos réus que depuseram até agora, a aceitar uma conversa com os jornalistas. Ele disse qual é a sua expectativa para o depoimento desta tarde e prometeu responder a todas as perguntas que lhes forem feitas.   "Minha expectativa é muito positiva. Espero que hoje esteja encerrado este processo", afirmou. Ontem em depoimento prestado no mesmo local, o ex-tesoureiro do PT, se negou a responder perguntas de advogados de outros réus e do Ministério Público por orientação de sua assessoria jurídica.   Questionado se aceitaria a responder, inclusive questões do Ministério Público, Silvinho rebateu: "Por que não?". Ao entrar no prédio da Justiça Federal também prometeu atender os jornalistas na saída, porém, com uma condição; "Se eu sair inteirinho eu falo".   (Com Clarissa Oliveira, de O Estado de S.Paulo)   Texto atualizado às 14h20

Mais conteúdo sobre:
Mensalãoimplante

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.