Com novo apagão aéreo, oposição exige instalação de CPI

O caos provocado nos aeroportos pela greve dos controladores de vôo deu nova munição aos partidos de oposição para voltar à carga na briga pela instalação da CPI do Apagão Aéreo. Os oposicionistas devem levar ao presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), e às lideranças da base aliada a proposta de que a CPI seja instalada imediatamente. "A proposta do nosso partido é convencer o presidente da Câmara a instalar já a comissão. A Câmara tem responsabilidade com o Brasil. Não pode se omitir em um momento como esse por conta de questões político-partidárias", afirmou o líder do PSDB, deputado Antônio Carlos Pannunzio (PSDB-SP). "Esse episódio reforma a necessidade de CPI", reforçou o líder da Minoria, Júlio Redecker (PSDB-RS). Redeckcer passou a tarde deste domingo no telefone articulando para a próxima segunda uma reunião dos representantes dos partidos da oposição da Câmara - DEM (ex-PFL), PPS e PSDB) - com o objetivo de formalizar a proposta.A idéia é levá-la a Chinaglia ou colocá-la em debate na segunda, durante a reunião do colégio de líderes da Câmara. O DEM pretende esticar ainda mais a corda. O líder do partido, deputado Onyx Lorenzoni (RS), afirma que defenderá no encontro a proposta que a oposição volte a obstruir as votações, caso Arlindo Chinaglia se negue a instalar a CPI até amanhã.No dia 9 de março, ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar (decisão provisória) determinando que a Câmara desarquivasse o pedido de criação da CPI, revertendo a vitória obtida pelo governo no plenário. No entanto, o ministro determinou que a comissão somente poderá funcionar quando o plenário do STF julgar o mérito da questão, o que só deve acontecer no final de abril ou no começo de maio. Segundo Celso de Mello, a comissão não pode funcionar de forma provisória apenas com base na liminar. GrevePara Júlio Redecker, o despacho do ministro do STF não é um obstáculo. "Se houver concordância do presidente da Câmara e acordo com a base do governo, é possível instalar a CPI. Estou certo de que o Supremo seria sensível a isso." Segundo ele, se não houver acordo e Chinaglia insistir em aguardar a decisão definitiva do STF, ele proporá que a oposição vá formalmente à presidente da Corte, Ellen Gracie, pedir que o julgamento ocorra o mais rápido possível.O líder do PSDB afirmou que a greve dos controladores mostra que "a situação é muito pior do que imaginava". Segundo Pannunzio, ocorreram dois episódios "gravíssimos" durante a última crise. O motim dos controladores e um erro do governo ao desautorizar o comando da Aeronáutica. O Palácio determinou a negociação com os grevistas no momento em que o comando já havia decidido prender os amotinados.O deputado contou que era um dos milhares de passageiros que estavam nos aeroportos na sexta-feira e no sábado tentando embarcar. "Nós precisamos fazer alguma coisa já que o Executivo não tem competência para fazer", critica. "O governo deixou a coisa ir longe demais e agora estão dependentes dos controladores, que, por sua vez, não têm condições de trabalho. O governo poderia ter tomado uma providência há seis meses, quando aconteceu o acidente da Gol e o governo não fez nada", disse Redecker."Agora, a gente vai passar a fita métrica no presidente da Câmara para saber que tamanho ele tem. Se ele protelar a instalação, estará fazendo o jogo pequeno do governo", desafiou Lorenzoni.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.