Com menos de dois meses de criado, PROS vai compor ministério

Partido anunciou a formação de um bloco com o PP, formando a 3ª. maior bancada no Congresso

Eduardo Bresciani, O Estado de S. Paulo

06 de novembro de 2013 | 18h12

Com menos de dois meses de criação, o Pros foi convidado na semana passada pela presidente Dilma Rousseff a integrar a equipe ministerial a partir de dezembro, afirmou o líder do partido na Câmara dos Deputados, Givaldo Carimbão (AL). A decisão sobre qual espaço ocupar, segundo o líder, só ocorrerá no próximo mês, quando a presidente fará uma reforma ministerial.

O PROS, que tem 21 deputados, uniu-se nesta quarta-feira, 6, em um bloco com o PP, que tem 42, resultando na terceira maior bancada na Câmara, atrás apenas do PT e PMDB.

"Nós dissemos para a presidente que vamos apoiá-la porque a maioria de nós já atuava assim e que não pedíamos nada em troca. Ela agradeceu e disse que queria convidar o partido para participar do governo a partir de dezembro, quando fará a reforma ministerial", afirmou Carimbão.

O ex-ministro da Integração Nacional do governo Lula, Ciro Gomes, é visto como o nome do partido com maior potencial de indicação. Ele e o irmão, o governador do Ceará, Cid Gomes, deixaram o PSB por não concordarem com a candidatura de Eduardo Campos contra Dilma.

Cid participou do ato e afirmou que seu grupo está em quarentena em relação a ocupação de ministério, mas não quis precisar até quando ficaria voluntariamente fora do governo. Aliado dos Gomes, Leônidas Cristino deixou a Secretaria Especial dos Portos quando o grupo trocou o PSB pelo PROS.

Tudo o que sabemos sobre:
ProsministérioDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.