Com medo de grampo, Waldomiro faz telefonema de orelhão

Preocupado com a possibilidade de estar sendo grampeado, o ex-coordenador de Assuntos Parlamentares do Palácio do Planalto Waldomiro Diniz está evitando usar os telefones pessoais. Nos últimos dias, ele tem recorrido a telefones públicos e nesta terça foi flagrado usando o orelhão da Superquadra 404 Sul, a poucos metros do seu edifício residencial.Afastado do cargo em 13 de fevereiro, após a divulgação de fita de vídeo em que aparece negociando propina para si e recursos para campanhas eleitorais com um bicheiro, Waldomiro responde atualmente a três inquéritos - um no Rio, por corrupção passiva, e dois em Brasília, por improbidade administrativa e tráfico de influência. Desde então, desconfiado, ele tem levado vidaarredia e raramente sai de casa.Os três inquéritos entraram na reta final de julgamento na Justiça e a chance de algum juiz ter decretado a quebra de sigilo telefônico é muito grande. No processo do Rio, o pedido de quebra de sigilo foi negado pela juíza da 5.ª Vara de Fazenda Pública, Jaqueline Montenegro. Os dois de Brasília correm em segredo de Justiça na 10.ª Vara da Justiça Federal.No próximo dia 21, a CPI da Assembléia Legislativa do Rio vai fazer a acareação entre Waldomiro e o bicheiro Carlos Cachoeirapara esclarecer contradições nos depoimentos prestados anteriormente por ambos. A acareação ocorrerá na AssembléiaLegislativa de Goiás.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.