Com Lula, Dilma diz que inflação estourou meta no governo FHC

Presidente e antecessor se encontram na Bahia e conversam por mais de 3 horas; ‘Faça oposição a si mesma’, aconselha Lula

Rafael Moraes Moura e Tiago Décimo, O Estado de São Paulo

25 de julho de 2013 | 00h38

Salvador - A presidente Dilma Rousseff reuniu-se reservadamente em Salvador, por mais de três horas, nesta quarta-feira, 24, com seu antecessor e padrinho político Luiz Inácio Lula da Silva. Em seguida, em evento que marcou os 10 anos de poder do PT, ela abordou o que é hoje o tema mais sensível de sua administração – a estabilidade econômica – afirmando que no governo do rival tucano Fernando Henrique Cardoso a meta de inflação foi estourada.

"Nos últimos quatro anos antes do Lula, em três a inflação ficou acima da meta", disparou a presidente. Lula adotou, no evento, a mesma estratégia, "A oposição não tem condição de discutir inflação conosco", provocou o ex-presidente. Em sua fala, ele ainda aconselhou Dilma a se preparar para os desafios de 2014. "Você, Dilminha, pode começar a fazer oposição a você mesma. Porque a gente pode fazer muito mais", avisou o petista.

A reunião privada entre os dois foi realizada no próprio hotel que abrigou o evento. Enquanto isso, um grupo de cerca de 150 manifestantes, entre médicos, sem-terra e pescadores, protestava nas redondezas.

Diante da plateia, Dilma foi insistente: "Quando alguém disser que a inflação está fora de controle, temos de responder que não é verdade. (Temos de responder) Que a inflação vai fechar 2013 dentro da meta. Que este será o décimo ano seguido em que a inflação está sob rigoroso controle. E lembremos que nos últimos quatro anos anteriores ao governo Lula, em três a inflação ficou acima da meta".

"Nós temos de enfrentar as mentiras com dados verdadeiros", prosseguiu. "Não permitam que a manipulação se imponha, não deixem que o pessimismo conquiste corações e mentes que não recebem toda a informação disponível".

Mais tarde, questionado pelo Estado sobre o uso da inflação para atacar os tucanos, Lula disse que a "oposição não tem condição de discutir inflação conosco". "Nós estamos há 10 anos consecutivos mantendo a meta da inflação, a inflação pra nós é uma coisa sagrada. E se alguém ganha dinheiro com inflação, vai ganhar em outro lugar, porque no Brasil ela não volta".

Em seu longo discurso no seminário, Lula deu conselhos públicos à sucessora, pedindo que fizesse oposição a si mesma. "Se pudesse voltar, faria oposição (a si mesmo)", afirmou. "Hoje, eu descubro o quanto eu poderia ter feito mais".

Nesse balanço, prosseguiu: "Eu fico pensando o que seria o Brasil sem o PT, fico pensando o que seria o Brasil se não fosse o movimento dos sem terra." E considerou importante "olhar para dez anos atrás, quando chegamos ao poder. Temos o direito de reivindicar tudo o que falta, mas o dever de dizer que tudo aquilo que conquistamos".

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaLulaFHCPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.