Com dor de garganta, Lula evita pronunciamento em SP

Convidado especial para a cerimônia de inauguração da nova sede da Telefônica/Vivo, em São Paulo (SP), o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, evitou falar no evento desta terça-feira. Ele alegou estar com dor de garganta. Após os discursos de executivos da companhia espanhola e de, entre outros, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad e do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, Lula foi chamado ao palco pelo mestre de cerimônias, mas ele não foi ao local.

GUSTAVO PORTO E RODRIGO PETRY, Agência Estado

02 Abril 2013 | 19h01

O presidente da Telefônica/Vivo no Brasil, Antonio Carlos Valente, informou então que Lula não iria se pronunciar por conta da dor de garganta. Na semana passada, o ex-presidente reclamou de dores na garganta em um evento na capital paulista.

Nesta terça, Lula passou por exames de imagem no Hospital Sírio-Libanês, entre eles uma laringoscopia. Segundo a instituição médica, os exames eram de rotina e estavam previamente agendados. O boletim médico assinado pelo diretor clínico do hospital, Paulo Cesar Ayroza Galvão informou que "os resultados apresentados estão dentro da normalidade e o ex-presidente apresenta excelente estado geral, sem qualquer evidência de doença".

Segundo a assessoria de Lula, o ex-presidente está poupando a voz e não há relação com os exames desta terça. Ainda no evento da Telefônica/Vivo, Lula foi homenageado pela companhia com uma placa.

Mais conteúdo sobre:
Lula Telefônica Vivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.