Com disputa acirrada no Estado, Aécio e Lula visitam MS

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, desembarca nesta terça-feira, 21, em Campo Grande com objetivo de tentar assegurar ao PSDB um vitória no Mato Grosso do Sul, Estado que conta com 1,8 milhão de eleitores. Um dia após a visita do tucano está prevista a chegada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, principal cabo eleitoral da candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT).

ERICH DECAT, Estadão Conteúdo

21 de outubro de 2014 | 11h53

A ida dos dois ao Estado ocorre num momento em que as últimas pesquisas apontam para a permanência de um cenário bastante acirrado tanto na disputa presidencial quanto na estadual - em ambas, PT e PSDB são adversários.

De acordo com pesquisa Ibope publicada ontem, Aécio tem 53% e Dilma 47% dos votos válidos em Mato Grosso do Sul - no cenário nacional, o Datafolha mostra Dilma com 52% e Aécio com 48%, no limite do empate técnico. No primeiro turno da corrida presidencial, o tucano conseguiu impor uma vitória apertada por 51.380 votos de diferença sobre Dilma. Na primeira rodada da disputa, ele obteve 41,3% dos votos válidos contra 37,5% da petista.

Na disputa pelo governo do Estado, o Ibope mostrou que o candidato Reinaldo Azambuja (PSDB) tem 51% dos votos válidos e Delcídio do Amaral (PT), 49%, em empate técnico.

Ao lado de Azambuja, Aécio dará entrevista em um hotel da cidade e na sequência realizará encontro com lideranças políticas locais na Associação Nipo-brasileira. De lá, seguirá para evento de campanha em Goiânia.

Os petistas tinham uma expectativa de uma ida de Lula à cidade de Dourados, que fica cerca de 230 km da capital. Mas, segundo a assessoria do ex-presidente, a visita vai se restringir à Campo Grande, onde se concentra a maior parte (32%) do eleitorado do Estado.

Na manhã desta quarta-feira, o ex-presidente tem agenda em Porto Alegre, onde tenta reforçar a campanha à reeleição do atual governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), que aparece atrás do candidato Ivo Sartori (PMDB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.