Com discurso de candidato, Lula inaugura ponte Brasil-Peru

A pouco menos de nove meses das eleições gerais, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou neste sábado a inauguração da ponte que liga o Brasil ao Peru para fazer mais um discurso de candidato à reeleição. Ao lado do presidente do Peru, Alejandro Toledo, e diante de uma platéia de cerca de cinco mil pessoas, Lula defendeu o crescimento do poder de compra e da renda da população mais pobre paralelamente à melhoria da economia e ao aumento do Produto Interno Bruto (PIB). Lula disse "cada país tem de pensar de forma soberana e fazer crescer o dinheiro no bolso da parte mais pobre da população". "É preciso saber se a educação está chegando na parte mais pobre da população. É preciso saber se os empregos estão contemplando as necessidades dos mais pobres", discursou. Junto com Toledo, ele atravessou os 240 metros da ponte que separam os dois países e subiu em uma mureta do Rio Acre, no lado peruano, para acenar para a multidão que vinha atrás. A ponte é o primeiro caminho brasileiro para o Oceano Pacífico. Agressão e injustiçaEm seu discurso, o governador do Acre, o petista Jorge Viana, pediu a reeleição do presidente. "Por que tanta agressão, tanta injustiça com o presidente Lula?", indagou. "Quem vai dar respostas às agressões que o senhor está sofrendo, para as inverdades que estão dizendo contra o senhor, seremos nós lutando para que a gente possa ter o presidente Lula por mais quatro anos no Brasil". Para ele, "a fase pior, a mais difícil, está para trás. Agora é a fase boa. Agora é a hora de inaugurar obras". Acompanhado de cinco ministros, o presidente criticou o projeto para a ponte que liga Brasil ao Peru elaborado pelo governo Fernando Henrique Cardoso, que previa uma ponte de 745 metros para ligar as cidades de Assis Brasil a Iñapari. A ponte sobre o Rio Acre tem 150 metros de largura e 240 metros de extensão e custou R$ 25 milhões pagos pelos governos federal e do Acre. "Possivelmente esses metros todos a mais fossem para justificar a vinda do presidente na inauguração. Essa ponte não tem 745 metros. Essa ponte tem apenas o tamanho e nossa consciência e da nossa honestidade e da necessidade do povo", afirmou.Cabeça colonizadaSem citar nomes, afirmou que seus antecessores sempre "tiveram a cabeça colonizada" e voltada para os Estados Unidos e a Europa. "Tenho certeza que a história vai registrar que fizemos mais para a integração da América do Sul do que tantos que passaram em um século", disse.Em seu discurso, o presidente Toledo, que deixa o governo em meados do ano, também defendeu a integração dos países latino-americanos e anunciou que pretende inaugurar linha aérea entre Rio Branco e Lima. "Com a linha aérea, quem quiser ir a Cuzco não vai mais precisar ir até São Paulo para pegar uma avião", disse Toledo. Rio Branco fica a cerca de mil quilômetros de Cuzco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.