Com críticas Kassab, Chalita diz que SP está abandonada

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o pré-candidato do PMDB na capital paulista ataca o prefeito, que, para ele, deixou a cidade em prol da criação do novo partido

do estadão.com.br

13 de abril de 2012 | 10h48

Em meio às frases de efeito, o pré-candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita, não poupou adjetivos para atacar a gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD), em entrevista à Rádio Bandeirantes, na manhã desta sexta-feira, 13. Para o deputado federal, Kassab abandonou a cidade para privilegiar planos políticos e chamou a atual gestão de ineficiente.

 

"Isso que sinto que falta na cidade de São Paulo: um prefeito que esteja presente na cidade", disse Chalita, que completou: "Depois o Kassab teve outro objetivo [político], que foi montar o partido. Aí a cidade ficou abandonada". O pré-candidato listou críticas em áreas diversas do governo, da segurança pública à educação, para exemplificar o que, segundo ele, comprova a ineficiência da atual gestão. "Temos um PIB de R$ 400 bilhões. São Paulo não é uma cidadezinha sem dinheiro para resolver seus problemas."

 

Como solução aos problemas por ele mencionados, Chalita buscou exemplos nas gestões de colegas de partido, em especial do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, tática que deve integrar sua campanha política. "São Paulo não quis colocar as UPAs [Unidade de Pronto Atendimento], porque tem carimbo federal", disse ao se referir ao programa de saúde do governo federal, atualmente com 22 unidades no Estado do Rio.

 

Serra e Alckmin. Desafeto declarado do ex-governador e pré-candidato tucano à Prefeitura, José Serra, e próximo do governador Geraldo Alckmin, Chalita declarou que não espera qualquer sinalização de apoio de Alckmin à sua candidatura. "Ele não vai fazer o que o Serra fez com ele", disse ao fazer referência à campanha eleitoral de 2008, quando Serra defendou apoio à reeleição de Kassab e não do candidato tucano. "Tive problemas com o José Serra e por isso saí [do PSDB]. Mas espero que a campanha eleitoral seja muito focada em São Paulo", afirmou.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.