Com Chirac, Lula exalta consolidação democrática

Indiferente aos alertas de que a região vive a expansão de atitudes nacionalistas e populistas, o presidente Lula disse nesta quinta-feira em entrevista, ao lado do presidente da França, Jacques Chirac, em visita oficial ao Brasil, que a América do Sul passa por ?um momento político muito rico? em termos de consolidação democrática.Lula voltou a reforçar sua crença na integração regional como uma necessidade para a construção da democracia e da paz e também como a única possibilidade de ver os países da região entre as nações ricas. ?Para os que duvidam, há 20 anos a América do Sul vivia quase completamente em regime autoritário. Em todos os países havia grupos que acreditavam na luta armada?, afirmou Lula ao ser questionado se os movimentos nacionalistas - a exemplo do ocorrido na Bolívia, onde o presidente Evo Morales anunciou a nacionalização do gás e ocupou militarmente as empresas que atuam no País - afetaram a percepção de risco na América do Sul e poderiam afugentar investimentos.?Da década de 90 para cá, todos os grupos, com exceção das Farc (as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), abandonaram a luta armada e entraram na disputa democrática. Até o presidente Chávez (Hugo Chávez, da Venezuela) tentou e não conseguiu (dar um golpe de Estado nos anos 90) e voltou pela via da eleição?, completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.