Com Chinaglia, estudantes participam de sessão mirim

No plenário, cerca de 400 estudantes participaram da sessão comandada pelo presidente da Casa

Agência Brasil

25 Outubro 2007 | 17h46

Alunos de escolas públicas e particulares do Distrito Federal e cidades vizinhas puderam nesta quinta-feira, 25, vivenciar um dia como deputado federal. No plenário da Câmara, meninos e meninas discutiram e votaram projetos elaborados por crianças.   Na pauta desta edição, a proibição do transporte de estudantes em paus de arara, a igualdade de tratamento entre autoridades e cidadãos comuns perante a lei e a proibição do trabalho infantil. Pela segunda vez, o projeto Câmara Mirim consegue levar estudantes ao Congresso Nacional.   Cerca de 400 estudantes participaram da sessão mirim na Câmara dos Deputados. Kelvin Rego Santos, 12 anos, admite que política não é seu assunto preferido. "Não sou muito chegado na política, não, porque o que a gente ouve não é coisa boa", diz o aluno da 6ª série.   O presidente da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia, acredita que esta é uma oportunidade de mostrar aos meninos e meninas como a política interfere na vida de cada um, mesmo daqueles que não gostam dela. "A educação política é fundamental para qualquer país. Não se trata de gostar ou não de político. É ter a oportunidade, a responsabilidade e a dimensão que a vida de cada um é decidida pela política".   As propostas dos estudantes podem se transformar em projetos de lei reais, como aconteceu no ano passado com a sugestão de dar prioridade a crianças que moram em orfanatos na hora de preencher vaga nas escolas da rede pública. Esse projeto tramita na Câmara, com assinatura do deputado Frank Aguiar (PTB-SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.