Com base na Ficha Limpa, PSOL pede impugnação da candidatura de Roriz

Em 2007, o ex-governador do DF renunciou ao mandato de senador por fugir de cassação

Agência Brasil

08 Julho 2010 | 16h33

BRASÍLIA - O PSOL registrou nesta quinta-feira, 8, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pedido que solicita impugnação da candidatura de Joaquim Roriz (PSC) ao governo do Distrito Federal. O partido defende que o ex-governador não pode disputar em razão de, em 2007, ter renunciado ao mandato de senador para fugir da cassação.

 

Na época, Roriz foi apontado por se apropriar de recursos públicos e manteve conversar telefônicas, rastreadas pela política Federal, com o ex-presidente do Banco de Brasília, Tarcísio Franklin Moura, na qual negociavam a divisão de R$ 2,2 milhões.

 

O candidato terá prazo de sete dias para responder à ação do PSOL. Após isso, o TRE decidirá se ele poderá concorrer ao governo ou não.

 

A Lei da Ficha Limpa torna inelegíveis os candidatos com condenações por órgãos colegiados e também aqueles que renunciaram ao mandato para fugir da cassação. A inelegibilidade é de oito anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.