Com apoio do PSDB, Chinaglia diz que venceria no 1º turno

O líder do governo na Câmara e candidato à presidência da Casa, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse que, com o apoio dos deputados do PSDB - retirado nesta terça-feira, durante reunião da bancada tucana -, ele ganharia a disputa com uma "vitória esmagadora no primeiro turno". Em entrevista, Chinaglia considerou "previsível e normal" o recuo dos deputados do PSDB. Eles retiraram o apoio à candidatura do petista para trabalhar pela eleição do recém-lançado candidato do PSDB, deputado Gustavo Fruet (PR). "Com o (apoio do) PSDB, não seria uma vitória no primeiro turno, seria uma vitória esmagadora no primeiro turno", disse Chinaglia. "Agora, o quadro mudou, e houve uma redistribuição (de votos). Vou trabalhar para ganhar no primeiro turno", completou o petista. Chinaglia disse que respeita a decisão da bancada dos tucanos, assim como a respeitou quando recebeu seu apoio. O petista afirmou que qualquer presidente da Câmara tem de representar a Casa, sem ser submisso ao governo nem fazer oposição a ele. A declaração foi uma resposta a Fruet, que afirmara que os candidatos Chinaglia e Aldo Rebelo (PC do B-SP) são governo, enquanto, ele era a Câmara. Mas, ainda de olho nos votos dos tucanos, Chinaglia completou: "Ele (Fruet) tem base partidária relevante e respeitável, que eu paquero o tempo todo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.