Com agenda turbinada, Haddad é ministro vip na Esplanada de Dilma

Para abrir espaço à sua pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo, ele ganha destaque na agenda do Planalto

Rafael Moraes Moura e Tânia Monteiro, de O Estado de S.Paulo,

17 de setembro de 2011 | 16h40

Pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, o ministro da Educação, Fernando Haddad, vem ganhando tratamento vip do Palácio do Planalto a partir de uma estratégia para divulgar as ações da pasta, ampliar sua exposição na mídia e torná-lo mais conhecido do público - justamente no momento em que tenta consolidar o nome na disputa paulistana. De 16 de agosto a 15 de setembro, o ministro participou de quatro eventos organizados pelo Planalto que serviram para divulgar sua imagem.

 

Nesse intervalo, superou o desempenho obtido durante todo o primeiro semestre do governo Dilma Rousseff, quando "estrelou" três cerimônias.

 

Haddad também é a autoridade que, neste ano, mais participou do programa radiofônico Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social e pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC) - foram três rodadas de entrevistas, aponta levantamento feito pelo Estado. No programa de sexta-feira, o titular da Educação falou sobre os resultados da edição 2010 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), mas também foi questionado sobre as pretensões eleitorais para o ano que vem.

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o maior entusiasta da candidatura, orientou a presidente Dilma a que ampliasse o número de eventos públicos para impulsionar o nome de Haddad. Ainda desconhecido pela população de São Paulo, o petista aparece com até 3% das intenções de voto nas pesquisas eleitorais.

 

O ministro foi brindado com dois eventos ao lado de Dilma na semana passada: uma cerimônia de unidades de educação infantil e quadras poliesportivas escolares do PAC 2 e a abertura do Seminário Gestão de Compras Governamentais.

 

No seminário, Dilma afagou-o com uma extensa lista de elogios. Classificou a gestão do MEC como de "alta qualidade", dizendo-se impressionada com as ações da pasta. "E aí, Fernando, eu acho que isso é gestão. Gestão é a capacidade de você, como dizia o dr. Jorge Gerdau para nós, juntar o setor privado, o público e a universidade. E aqui nós vimos isso, hoje."

 

Nos últimos dois meses, o ministro participou ainda da aula inaugural do curso de medicina do câmpus Garanhuns da Universidade de Pernambuco (UPE) e virou o showman da cerimônia de anúncio da expansão da rede federal de educação superior, profissional e tecnológica, no dia 16 de agosto.

 

No primeiro semestre, Haddad foi, ao lado de Dilma, o protagonista de três cerimônias: a assinatura de termos de compromisso para construção de quadras esportivas escolares, o lançamento do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego (Pronatec) e uma cerimônia de anúncio de construção de 718 creches do PAC 2 em 419 municípios.

 

A dobradinha Haddad-Dilma também se repetiu em 21 de junho, durante premiação da 6.ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas e em 11 de julho, na entrega do Prêmio Anísio Teixeira, dois eventos de menor projeção.

 

Indagado pelo Estado sobre sua presença cada vez maior em eventos do Palácio do Planalto, Haddad disse que desde o começo do ano mantém rotina de duas reuniões semanais com a presidente. "Tem sido muito frequente, até pelo interesse dela pela agenda da educação. É bom para o País", disse.

 

A Secretaria de Imprensa da Presidência afirmou, por sua vez, que Dilma, em suas manifestações, "tem reafirmado seu compromisso com a erradicação da miséria e em garantir educação pública de qualidade, saúde de qualidade e segurança pública de qualidade" e, portanto, "é natural que esses temas centrais das políticas de governo tenham presença crescente das atividades" da presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.