Com agenda cheia no DF, Dilma inaugurará mais um comitê

Diretório que será lançado na terça terá salas privadas para a candidata, Temer e para o coordenador da campanha, Antônio Palocci

Carol Pires, de O Estado de S.Paulo

12 Julho 2010 | 17h08

'Vitória'. Nome sugestivo do edifício em Brasília foi uma coincidência

 

BRASÍLIA - A candidata do PT à sucessão de Lula, Dilma Rousseff, terá agenda política cheia, nesta terça-feira, 13, em Brasília, com ato público para receber o apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) pela manhã, inauguração do comitê de campanha no final da tarde, e, à noite, jantar com deputados da base aliada.

 

O jantar será na casa do deputado Eunício Oliveira (PMDB). A expectativa é de que cerca de 100 deputados da base compareçam. "Não haverá votações no Congresso. Os deputados virão a Brasília só prestigiar a Dilma. O Serra não pode fazer uma coisa dessas", provoca o líder do PT na Câmara, Cândido Vacarezza (SP).

 

O encontro foi organizado pelo presidente da Câmara dos Deputados e candidato a vice-presidente na chapa de Dilma, deputado Michel Temer (PMDB-SP), pelo líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), além do próprio anfitrião Eunício Oliveira. Apenas Michel Temer discursará durante o encontro. Dilma terá conversas reservadas com a maioria dos deputados. "É uma manifestação de apoio da maioria dos deputados federais à candidatura de Dilma", resume o líder petista.

 

Antes de seguir para o jantar, Dilma tem na agenda a inauguração do comitê de campanha. O escritório fica no prédio "Vitória", no Setor Comercial Sul. O nome sugestivo do edifício foi uma coincidência, mas o local e a data da inauguração, não. O comitê fica próximo à sede nacional do partido, e a data, 13, é o número oficial do partido, que o eleitor terá que digitar na urna para votar em Dilma.

 

Quem passa, nesta segunda-feira, em frente ao comitê, não vê faixas, nem nada que indique que ali funcionará a coordenação da campanha petista. O nome da faculdade que funcionava ali anteriormente ainda não foi retirado. Só depois de entrar no prédio, de três andares, é possível ver um grande painel com foto de Dilma e Michel Temer juntos, com os dizeres "Para o Brasil seguir mudando". O aluguel do espaço foi fechado em R$ 40 mil.

 

No comitê haverá salas privadas para Dilma, Temer e para o coordenador da campanha, Antônio Palocci. Parte da assessoria de comunicação e ainda o setor de logística da campanha também será hospedado neste comitê. O chamado "bunker" do Lago Sul, porém, será mantido para que a candidata faça, lá, reuniões particulares.

 

Pela manhã, Dilma abre a agenda na sede da Contag, em Brasília, onde receberá o apoio da entidade, que representa 25 milhões de agricultores familiares, assentados da reforma agrária e trabalhadores sem-terra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.