Com 83 segundos, Marina espera surpreender na propaganda eleitoral

'Vamos dar uma mensagem em pequenas porções, mas são porções de grande qualidade, como a castanha-do-pará: basta comer uma e você está suprido de proteínas', afirmou

Daiene Cardoso, da Agência Estado

16 de agosto de 2010 | 17h25

SÃO PAULO - A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, disse nesta segunda-feira,16, esperar que a propaganda eleitoral que se inicia amanhã surpreenda os eleitores. Dona de apenas 1 minuto e 23 segundos de propaganda, a candidata aposta na apresentação de uma mensagem curta e eficiente. "Vamos dar uma mensagem em pequenas porções, mas são porções de grande qualidade, como a castanha-do-pará: basta comer uma e você está suprido de proteínas", afirmou, durante visita à Bienal do Livro, em São Paulo.

 

Marina disse não se intimidar com o tempo que seus adversários José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) terão no rádio e na TV. "Os grandes perfumes estão sempre nos menores frascos", afirmou. Marina esteve por mais de uma hora visitando os estandes da Bienal do Livro, onde deu autógrafos, tirou fotos e conversou com crianças e adolescentes.

 

Durante sua visita, Marina propôs a criação de uma biblioteca para cada escola pública. "Defendemos que se tenha uma biblioteca por escola e que seja devidamente orientada e atualizada", afirmou.

 

A candidata propôs uma parceria do Ministério da Educação com o Ministério da Cultura para viabilizar o projeto e "ir além do olhar do MEC, para a gente poder ampliar o horizonte e ir além do livro didático." Segundo Marina, é preciso investimento do poder público em parceria com Estados e municípios para tornar o projeto possível. Ela lembrou que apenas 10% da população brasileira compra livros não-didáticos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.