FABIO MOTTA/ESTADÃO
FABIO MOTTA/ESTADÃO

Com 32 nomes investigados na Lava Jato, PP adia convenção nacional

Decisão, tomada na noite dessa terça em reunião da Executiva Nacional, foi influenciada pelo envolvimento de alguns dos principais nomes na operação; a ideia é manter o partido coeso "neste momento de exposição"

ERICH DECAT, O Estado de S. Paulo

25 de março de 2015 | 14h53

Brasília - Com maior número de citados na lista de investigados por desvios na Petrobrás, integrantes da cúpula do PP decidiram adiar a convenção nacional do partido prevista para o próximo dia 9 para daqui a seis meses.

Segundo o Broadcast Político apurou, a decisão, tomada na noite dessa terça, 24, em reunião da Executiva Nacional, foi influenciada pelo envolvimento de alguns dos principais nomes na Operação Lava Jato. A ideia é manter o partido coeso "neste momento de exposição".

O PP é o que tem o maior número de investigados, com 32, dos quais, três senadores, 18 deputados e 11 ex-deputados. Entre eles está o próprio presidente nacional, senador Ciro Nogueira (PI), que conduziu a reunião de terça-feira, 24.

lém do "fator Lava Jato", o adiamento da convenção também atendeu ao pleito da maioria dos diretórios estaduais que vivem a expectativa de mudanças nas regras com uma possível aprovação de projetos da reforma política no Congresso.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Lava JatoPPconvenção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.