Colômbia destrói avião brasileiro na Amazônia

Um avião civil brasileiro, provavelmente usado por traficantes de drogas, foi destruído por um Tucano de ataque leve da Força Aérea da Colômbia. O bimotor fazia um vôo não autorizado, sob matrícula falsa e sem plano de navegação, e foi obrigado a pousar, sendo destruído no solo. O incidente ocorreu há dois dias, nas proximidades de Carurú, em meio à selva, a 530 quilômetros da capital Bogotá. A patrulha colombiana, orientada por um radar aerotransportado americano, interceptou o avião. A aeronave não respondeu ao contato por rádio nem aos sinais convencionais para seguir os Tucanos (produzidos pela Embraer). Segundo o chefe da Força Aérea, general Edgard Lesmez, "foram adotados procedimentos para forçar o pouso em uma pista nas proximidades de Carurú e em seguida para a destruição em terra". De acordo com Lesmez, o governo brasileiro foi informado na terça-feira à noite. O tipo de carga que o bimotor transportava e o destino do piloto não foram revelados. A Colômbia reativou a lei de interdição aérea armada no segundo semestre de 2003, com apoio do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Os EUA já investiram cerca de US$ 2 bilhões no Plano Colômbia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.