Collor perde ação movida contra ministro de Lula

Ex-presidente movia ação por danos morais contra Franklin Martins por informação publicada em revista

Gustavo Uribe, da Agência Estado,

09 de janeiro de 2009 | 18h09

O ex-presidente da República e senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) perdeu nesta sexta-feira, 9, uma ação por danos morais ajuizada contra o ministro da Comunicação Social do governo Luiz Inácio Lula da Silva, Franklin Martins, e a Revista Brasília em Dia. Collor acusava o ministro de ter sugerido, em entrevista publicada em 2005, que ele era corrupto. A ação foi julgada improcedente pela juíza Flávia Almeida Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca (RJ). Para o advogado da revista, Marcelo Almeida, o ex-presidente alegou que tinha residência no Rio para levar a ação ao Estado. Na entrevista dada ao editor da publicação, Marcone Formiga, Martins respondeu a uma pergunta que comparava o escândalo do mensalão, envolvendo o governo Lula, ao impeachment do ex-presidente Collor. "Os casos eram diferentes. Havia uma quadrilha cujo chefe era o presidente da República, o braço direito era o PC Farias tomando dinheiro de empresas em todo o País. (...)(Collor) era para estar na cadeia", disse o ministro na entrevista. A defesa de Collor acusou Martins de ter incorrido em danos morais contra ele e a revista de ter publicado algo que excedeu o direito de liberdade de expressão. Segundo a juíza, no entanto, os processos que levaram ao impeachment de Collor continham ofensas muito piores às que foram publicadas na entrevista. Para Flávia Almeida, a revista apenas publicou fatos que fazem parte da história. Collor ainda pode recorrer. Os advogados do ex-presidente e do ministro não foram encontrados pela reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.