Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Collor diz que denúncia foi construída sob sucessivos lances espetaculosos

'Como um teatro, o PGR encarregou-se de selecionar a ordem dos atos para a plateia, sem nenhuma vista pela principal vítima dessa trama, que também não teve direito a falar nos autos', afirmou ex-presidente

RICARDO BRITO, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2015 | 18h37

Brasília - O senador e ex-presidente Fernando Collor (PTB-AL) afirmou que a denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra ele, por envolvimento no esquema de corrupção da Petrobrás, foi construída sob "sucessivos lances espetaculosos".

"Como um teatro, o PGR encarregou-se de selecionar a ordem dos atos para a plateia, sem nenhuma vista pela principal vítima dessa trama, que também não teve direito a falar nos autos", disse Collor, em mensagem por meio de duas redes sociais.

O ex-presidente disse ter solicitado por duas vezes dar depoimento no inquérito a que responde desde o início do ano. Segundo ele, os depoimentos foram marcados, mas "estranhamente" desmarcados às vésperas das datas estabelecidas.

"Se tivesse havido respeito ao direito de o senador se pronunciar e ter vista dos autos, tudo poderia ter sido esclarecido. Fizeram opção pelo festim midiático, em detrimento do direito e das garantias individuais", criticou.

O ex-presidente, o principal crítico público da recondução de Janot, que será sabatinado pelo Senado na próxima semana, não apareceu no plenário ou em comissões do Senado durante todo o dia. Fez uma passagem relâmpago no plenário por volta das 18 horas para registrar a presença do dia diante de um plenário praticamente vazio. Ficou 30 segundos no local e depois deixou o ambiente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.