Coligação PFL/PSDB pode sair em 3 semanas, disse Bornhausen

O presidente nacional do PFL, Senador Jorge Bornhausen (PFL-SC), afirmou que espera concluir as negociações internas do partido, em torno do fechamento de coligação com o PSDB nas próximas três semanas, e aguarda uma resposta do prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia sobre o fim de sua candidatura, até o final desta semana. Bornhausen que almoçou ontem com o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, disse no entanto, que qualquer decisão só será tomada após a resposta do prefeito carioca.Segundo o presidente do PFL, a partir da resolução de Maia, só faltará discutir com os tucanos os acertos regionais dos dois partidos. "Não há dificuldade alguma básica para a efetivação da coligação, dado que ela é autoexplicável", disse Bornhausen, ressaltando no entanto, que ainda tem de haver um acordo mais amplo em relação as candidaturas aos governos estaduais."Temos cerca de 12 candidatos a governador. Evidentemente, se nossos candidatos tiverem mais chances de vencer, queremos que o apoio seja feito em torno deles", disse o presidente do PFL, durante seminário sobre educação, promovido pelo partido em São Paulo.Bornhausen entretanto não quis discutir se uma saída do prefeito José Serra para o governo de São Paulo jogaria a favor da coligação. Ele limitou-se a dizer: "Esta é uma decisão do PSDB, e do prefeito e não nos cabe interferir neste processo". Ele admitiu que o resultado da pesquisa Datafolha divulgada hoje, "foi uma demonstração de muita força e isto certamente será avaliado pelo prefeito antes do dia 31 de março".

Agencia Estado,

20 de março de 2006 | 12h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.