Cobrança do PSDB nacional irrita dirigentes estaduais

A vantagem da candidata do PT À Presidência, Dilma Rousseff, sobre José Serra nas pesquisas, embora minimizada pelos tucanos, criou um clima de cobrança mútua no PSDB. Os coordenadores da campanha presidencial querem mais exposição do nome de Serra. Os aliados nos Estados reagem às reclamações de que estão omissos.

AE, Agência Estado

05 de agosto de 2010 | 11h02

O presidente do PSDB mineiro, deputado Nárcio Rodrigues, sintetiza o desconforto dos dirigentes tucanos. "O problema é que tudo que se faz é pouco. O Aécio Neves está totalmente dedicado à campanha presidencial, mas em São Paulo ainda é visto com o olho torto", afirmou.

"Se a campanha de Serra tem dúvida de que estamos engajados, então venha a Minas e faça como quiser. O que vou dizer a um prefeito do PSB que apoia Aécio e Anastasia, mas está com Dilma? Para trair a coligação nacional do partido dele?" As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.