Cobra coral dá susto em Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva levou um susto, hoje, ao se deparar com uma cobra coral enquanto cumprimentava populares na zona rural de Buíque, a cerca de 280 quilômetros de Recife. Lula tinha acabado de visitar uma família que deverá ser beneficiada pelo seguro-safra, programa que dará recursos a pequenos agricultores que perderem a colheita por causa da seca. Cerca de 500 pessoas aguardavam Lula do lado de fora, junto à cerca. Ao sair, o presidente passou a distribuir abraços, autógrafos e beijos aos populares. De repente a cobra surgiu à frente de Lula, assustando as pessoas e o próprio presidente, que deu alguns passos para trás, enquanto seguranças tentavam pisotear o animal. Houve um princípio de tumulto e foram os moradores da região que acabaram matando a cobra a pauladas. O presidente continuou então cumprimentando as pessoas e a cobra ficou jogada no chão.Lula visitou o sítio Jurema, onde moram o agricultor José Cícero Filho, de 50 anos, a mulher Isabel Maria da Silva, de 49, e sete filhos. A família vive numa casa de 45 metros quadrados e planta feijão, milho e macaxeira na propriedade, que tem menos de um hectare. Por causa da falta de chuva, grande parte da colheita já está comprometida.Cícero Filho é um dos 430 mil possíveis beneficiários do seguro-safra, que vai pagar R$ 475, em seis parcelas, às famílias que perderem pelo menos metade da safra deste ano. Para ter direito ao benefício, os agricultores precisam se cadastrar nos municípios do semi-árido nordestino e pagar taxa de R$ 6,00. Para que eles recebam o seguro, é preciso ainda que o estado de calamidade pública seja decretado pelo município e referendado pelo governo federal.Lula permaneceu 45 minutos na propriedade e ficou visivelmente emocionado ao cumprimentar Cícero Filho, principalmente quando soube que o agricultor, como ele, nasceu em Caetés, a 50 quilômetros de Buíque. O presidente trocou um longo abraço com Isabel, que tem menos de 1,5m de altura. Cícero e a mulher choraram e aproveitaram para pedir a Lula energia elétrica e a construção um poço de água em sua casa. Segundo Isabel, Lula pediu que eles tivessem paciência, que a vida iria melhorar aos poucos.A família recebe R$ 15 reais por mês do Bolsa-Escola - segundo o casal, só um dos sete filhos tem direito ao benefício, apesar de outros também estudarem - e sobvevive com a lavoura e eventuais serviços prestados em outras propriedades.O seguro safra foi criado no governo Fernando Henrique Cardoso, mas, por falta de recursos, está sendo implementado somente agora. O governo estima haver 1,1 milhão de famílias que podem receber o dinheiro, mas, devido à contenção de verbas do Orçamento, no início apenas 430 mil famílias devem ser beneficiadas. Em Buíque, são 300 famílias. Na viagem, a Pernambuco, Lula também lançou o cartão alimentação do programa Fome Zero em 19 municípios do Estado.PetistasO governador Jarbas Vasconcelos (PMDB) que acompanhou Lula na visita a Buíque, foi vaiado por populares. Ele aguardava o presidente do lado de fora da casa da família Silva quando um grupo de mulheres passou a gritar slogans em favor da educação. "Professor não é cachorro" era um deles. O governador fingiu não ouvir. Depois, em entrevista, disse: "são petistas."Ontem pela manhã, antes de embarcar para o interior do Estado, Lula tomou café da manhã na suíte do hotel, em Recife, com a estudante Diana Flávia de Paiva, de 9 anos, e sua mãe, Carmen de Freitas, professora, de 37 anos. Lula conheceu a menina em janeiro, na visita que fez com ministros à Favela Brasília Teimosa. Ontem, ela havia tentado falar com ele no Palácio Campos das Princesas, do governo estadual, mas tinha sido barrada pela segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.