CNT/Sensus: rejeição a Dilma sobe para 32,6%

A rejeição à candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, subiu mais de três pontos porcentuais nas últimas semanas. Segundo a pesquisa CNT/Sensus divulgada hoje, a rejeição a Dilma passou de 29,4% no levantamento feito entre os dias 10 e 12 deste mês para 32,6% na pesquisa realizada entre 26 e 28 de setembro. Já os eleitores que dizem que não votarão no candidato do PSDB, José Serra, caíram de 41,3% para 40,2%. A candidata do PV, Marina Silva, que tem a maior taxa de rejeição, teve uma significativa redução nesse índice, de 45% para 42%.

LEONARDO GOY, Agência Estado

29 de setembro de 2010 | 11h49

Apesar da redução nas intenções de voto (de 50,5% para 47,5%) e do aumento da rejeição, aumentou a expectativa de vitória de Dilma. Segundo a CNT/Sensus, 74,1% dos eleitores acreditam que ela vencerá, ante 71,8% que faziam essa leitura no início do mês.

Documentos para votar

A pesquisa CNT/Sensus mostrou que 81,2% dos entrevistados disseram estar cientes de que precisarão do título de eleitor e de um documento com foto para votar nas eleições. Foram consultadas duas mil pessoas. O levantamento apontou ainda que 70,7% dos eleitores já definiram seu voto para presidente da República. O levantamento também apurou que 91,2% dos eleitores consultados pretendem comparecer e votar no próximo domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.