CNT/Sensus: 54,2% concordam com fidelidade partidária

A pesquisa CNT/Sensus, divulgada hoje, mostrou que 54,2% dos entrevistados aprovaram a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de impor a fidelidade partidária, e 30,7% se disseram contrário. Em outra simulação da pesquisa, 48,7% disseram que o mandado do candidato eleito deve pertencer ao político, e 38,3% afirmaram que deve pertencer ao partido político. O presidente da CNT, Clésio Andrade, afirmou que não há contradição entre os resultados das duas simulações. "O que a pesquisa mostra é que você vota no candidato, mas não quer que ele mude de partido", disse Andrade. Na pesquisa, os entrevistados foram consultados também sobre a hipótese de unificação da Câmara com o Senado, e 45,3% dos entrevistados se declararam favoráveis à unificação, e 32,7% se posicionaram contra a idéia. Em outra simulação, 25,8% dos entrevistados se disseram contrários à extinção da Câmara e do Senado, 23,3% se declararam a favor da extinção do Senado, 19,2% afirmaram ser favoráveis à extinção da Câmara, e 12,6% se manifestaram favoráveis à extinção da Câmara e do Senado. "O que a pesquisa mostra é uma tendência de a população querer uma Casa legislativa apenas. Não são contra o Legislativo, mas a favor de uma unificação", disse Clésio Andrade. Foi perguntado aos entrevistados também a posição sobre a atuação dos partidos de oposição (PSDB e DEM). Dos entrevistados, 24,8% disseram que a oposição é competente, mas conivente com o governo; 17,8% afirmaram que a oposição é competente e não é conivente com o governo; 14,4% disseram que a oposição é incompetente, mas não é conivente; e 10,9% afirmaram que a oposição é incompetente e também conivente com o governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.