CNJ recua e aprova teto de R$ 24,5 mil para TJs

Os integrantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) analisam nesta terça-feira, 6, a situação de tribunais de Justiça (TJs) de Estados que pagam salários para magistrados acima de R$ 24,5 mil, que é o valor do teto para a categoria. O teto foi definido na semana passada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Nesta manhã, os conselheiros do CNJ adequaram esse novo limite a decisões tomadas no final de janeiro pelo próprio conselho, que tinham determinado que fossem cortados os salários acima de R$ 22.111. Em decorrência da decisão do STF, os integrantes do CNJ tiveram de redefinir o teto em R$ 24,5 mil. Hoje à tarde, os conselheiros deverão julgar as situações existentes em outros tribunais de Justiça do País. Entre eles está o TJ de São Paulo, onde parte dos desembargadores recebe mais do que o teto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.