CNI/Ibope: Dilma venceria se eleição fosse hoje

Os representantes da Confederação Nacional da Indústria (CNI) calcularam nesta manhã, a pedido dos jornalistas, o quadro eleitoral para presidente da República, levando em conta apenas as intenções de votos válidos obtidas por meio da pesquisa CNI/Ibope, divulgada mais cedo. Pelo cálculo, a candidata do PT, Dilma Rousseff, teria 55% das intenções de voto e venceria já no primeiro turno.

CÉLIA FROUFE, Agência Estado

29 de setembro de 2010 | 11h54

José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) teriam 30% e 14% dos votos válidos, respectivamente. Os demais candidatos estão com 1% das intenções de voto. Os votos válidos foram obtidos por meio da retirada dos votos brancos, dos nulos e dos eleitores que não souberam ou não responderam à pesquisa.

Na avaliação do diretor de Operações da CNI, Rafael Lucchesi, os recentes escândalos envolvendo a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra, braço direito da então ministra Dilma Rousseff, tiveram pouco impacto na intenção de voto dos eleitores. "Pode ter impacto na opinião pública, mas não se refletiu de forma decisiva no quadro eleitoral", considerou ao comentar a pesquisa.

Lucchesi disse que, na pesquisa estimulada da CNI/Ibope, Dilma mantém a liderança das intenções de voto. "A diferença entre ambos (Dilma e o candidato tucano, José Serra) se mantém bastante elevada", comparou. Para ele, o patamar de influência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva segue bastante elevado. "Um total de 93% dos entrevistados identificam Dilma como candidata do PT, o que é extremamente importante para transferir votos do presidente Lula", disse. "É uma rampa bastante afirmativa", acrescentou. Lucchesi salientou, porém, que o porcentual dos indecisos (18%) na pesquisa espontânea ainda segue bastante elevado.

Evolução das candidaturas

A candidata do PT segue firme com metade das intenções de votos da população desde o fim de agosto, segundo avaliação do diretor de Operações da CNI, com base em várias pesquisas realizadas pelo Ibope com a mesma metodologia. "Dilma se mantém em 50% desde 27 de agosto e não há sinais de queda. Neste cenário, ela seria eleita no primeiro turno", avaliou. "Sem sombra de dúvidas, se a eleição fosse hoje, seria vitória no primeiro turno", acrescentou.

Lucchesi enfatizou que a candidata que expressou o maior crescimento das intenções de voto desde o fim de agosto foi Marina Silva. "O candidato Serra não consegue recuperar queda registrada desde fins de agosto. Os votos estão indo mais para a Marina do que para outros candidatos", disse.

Para o diretor, parte do crescimento da candidata do Partido Verde pode ser atribuído ao início da propaganda eleitoral na televisão, que começou em 17 de agosto. "Desde então, Dilma se sustenta, Serra decresce e Marina tem elevada e persistente progressão durante todo o horário eleitoral gratuito", comparou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.