CNI/Ibope: diferença entre Serra e Dilma cai 16 pontos em três meses

Pré-candidata do PT, que tinha 17% das intenções em dezembro, foi para 30%. Tucano caiu de 38% para 35%

RODRIGO ALVARES, do estadão.com.br

17 de março de 2010 | 10h24

 

SÃO PAULO - A pré-candidata do PT à Presidência da República, ministra Dilma Rousseff (Casa Civil), reduziu em 16 pontos porcentuais a vantagem do governador de São Paulo e possível candidato do PSDB, José Serra, na comparação entre a mais recente pesquisa CNI/Ibope, divulgada nesta quarta-feira, 17, e o levantamento realizado em dezembro pelo instituto, também encomendado pela Confederação Nacional da Indústria. Embora o tucano continue à frente da petista, a diferença entre os dois principais postulantes ao Palácio do Planalto passou de 21 pontos em dezembro para 5 em fevereiro. Em fevereiro, pesquisa Ibope encomendada pela Associação Comercial de São Paulo, mostrava Serra com 36% e Dilma com 25%.

 

Veja também

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/blog_azul.gif TOLEDO: Crescimento de Dilma e Serra estável

 

Segundo o Ibope, no cenário com o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), Serra tem hoje 35% das intenções de votos, contra 30% de Dilma. A petista cresceu 13 pontos porcentuais em relação a última pesquisa CNI/Ibope, quando tinha 17%. O tucano, que no levantamento anterior tinha 38%,  perdeu três pontos, um a mais do que a margem de erro, que é de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo. Ainda assim, ele mantém a vantagem em todas as simulações de segundo turno.

 

O levantamento foi feito entre os dias 6 e 10 de março, com 2002 entrevistas em 140 municípios. Ciro, que tem mantido a disposição em concorrer ao Planalto, tem 11% das inteções de voto, e a senadora Marina Silva (PV-AC), 6%.           

 

Sem Ciro, tudo igual

 

No cenário estimulado sem Ciro Gomes, Serra tem 38% e Dilma, 33%. Na mesma lista, Marina aparece com 8%. Do total de entrevistados, 10% disseram que irão votar em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos e 8% informaram que não sabem ou não responderam à pesquisa. 

 

Apesar dos resultados diferentes, a distância de 5 pontos porcentuais entre o tucano e a petista é mantida sem o deputado do PSB, o que indica que Ciro poderá não influenciar uma mudança significativa no cenário com Serra e Dilma na disputa. De acordo com o Ibope, com ou sem Ciro Gomes, Dilma conseguiria levar a disputa para o segundo turno, já que a soma de suas intenções de voto às de Marina Silva supera as de Serra (42% contra 38% do tucano)

 

Com o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB) no lugar de Serra, Dilma lidera a pesquisa com 34%, seguida por Ciro (21%). O mineiro aparece em terceiro, com 13%, enquanto Marina continua com 8%.

 

Apesar do crescimento vigoroso da ministra Dilma, o governador Serra manteve a vantagem em todas as simulações do segundo turno. Em uma possível disputa com a petista, o tucano vence por 44% a 39%.

 

Serra tem o menor índice de rejeição (25%), mas a rejeição da ministra caiu de 41% para 27% desde dezembro, enquanto para Ciro e Marina caiu de respectivamente 33% para 28% e 40% para 31%. A candidata do PV e Aécio têm os porcentuais de rejeição mais altos entre os candidatos.

 

Fator Lula

 

Segundo a pesquisa divulgada nesta quarta-feira pelo IBOPE, mais da metade dos brasileiros (53%) prefere votar no candidato apoiado pelo presidente Lula. Neste momento, 58% dos entrevistados sabem que Dilma é a candidata do presidente. Na pesquisa espontânea, o presidente lidera com 20% e Dilma fica à frente de Serra (14% a 10%).

 

A avaliação positiva do governo Lula atingiu nível recorde de 75%. A maneira de governar é aprovada por 83% da população e 77% dos entrevistados confiam no presidente Lula, quase o mesmo porcentual de dezembro de 2009. A percepção de que o segundo mandato de Lula é melhor do que o primeiro atinge 49%, e a aprovação da atuação do governo aumentou em seis das nove áreas pesquisadas. No entanto, o porcentual de desaprovação supera o de aprovação nas áreas de Saúde, Segurança Pública e impostos.

 

Houve queda de 12% na percepção de que o noticiário sobre o governo Lula é mais desfavorável. As notícias mais lembradas sobre o governo Lula foi a visita do presidente ao Haiti e Hillary Clinton no Brasil, com 12%.

 

Atualizado às 11h04

Tudo o que sabemos sobre:
IBOPECNIeleicoes 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.