CNI cobra de pré-candidatos redução de juros

Para crescer, o Brasil precisa mudar a estratégia de sua economia, segundo documento A Indústria e o Brasil - Uma Agenda para Crescer Mais e Melhor, que será divulgado hoje pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e será entregue aos presidenciáveis. De acordo com a avaliação da entidade, a atual equação macroeconômica tem um viés que inibe o crescimento da economia, ao punir o setor privado.

AE, Agência Estado

20 Maio 2010 | 08h03

Entre os principais problemas estão as altas taxas de juros e a dificuldade de acesso ao crédito. "O Brasil só conseguirá sustentar um forte crescimento se contar com o suporte de uma política industrial ativa, capaz de formar um ambiente propício à inserção competitiva das empresas na economia global, aproveitando todo o extenso potencial de crescimento da produção da indústria brasileira", sustenta o documento.

Para a CNI, os próximos quatro anos serão decisivos para o Brasil. "O País poderá crescer a taxas superiores a 5% ao ano, desde que respeite as lições sobre a importância da estabilidade, priorize a competitividade e avance na modernização das instituições econômicas e políticas. Segundo a CNI, o País tem como desafios na política industrial reduzir o custo Brasil e criar condições para a transformação de sua estrutura industrial. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
eleição CNI juros documento pré-candidatos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.