CNI: Alencar ajudou Lula a fazer o País crescer

Em nota divulgada na tarde de hoje, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, lamentou a morte do empresário e ex-vice-presidente da República José Alencar. "Ele foi um industrial ousado e um líder empresarial que soube, com sabedoria e espírito empreendedor, construir o maior grupo têxtil do País. Político habilidoso, ajudou, com a mesma tenacidade que lutou pela vida, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a recolocar o Brasil no caminho do crescimento e projetar o País no exterior", disse Andrade. "Perdemos um grande amigo e um brasileiro exemplar", completou.

EQUIPE AE, Agência Estado

29 de março de 2011 | 16h38

O presidente da CNI lembrou que Alencar foi um dos seus antecessores na presidência da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG). "Ele fortaleceu e dinamizou a FIEMG", disse Andrade.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Rodrigo da Rocha Loures, declarou-se "triste" com a morte ocorrida hoje do ex-vice-presidente da República. "Foi o melhor exemplo de empresário cidadão", acentuou. "Um exemplo de sucesso, de empreendedor, pessoa com origem humilde que construiu um império, mas ao mesmo tempo se dedicou a assuntos de interesse público".

Em relação à política, Loures destacou que Alencar foi o "homem certo no lugar certo". "Foi o grande parceiro para consolidar a democracia no Brasil e a abertura para o diálogo com a sociedade e o empresariado", disse. O presidente da Fiep ressaltou que o ex-vice-presidente desmistificou o preconceito que havia contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Foi capaz de enxergar a pessoa e não a imagem que construíram do Lula", opinou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.