CNBB lamenta 'ataques pessoais' na campanha

Declaração foi feita pelo presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, cardeal Raymundo Damasceno Assis

RICARDO DELLA COLETTA, Estadão Conteúdo

23 de outubro de 2014 | 20h15

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Raymundo Damasceno Assis, afirmou nesta quinta-feira, 23, que é "lamentável" que a campanha eleitoral "descambe para taques pessoais".

"É lamentável. Sempre disse aos candidatos que o importante não era o resultado da eleição, mas a contribuição que eles dariam na campanha para aperfeiçoar a nossa democracia", afirmou, numa coletiva de imprensa na qual apresentou as discussões abordadas no Sínodo dos Bispos, que aconteceu em outubro no Vaticano. "Muitas vezes a campanha toma outro rumo e lamentamos". Para ele, muitas vezes se vê nos debates "ataques pessoais", e não a apresentação de propostas.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesCNBBataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.