Clonaid quer abrir laboratório no Brasil

A Clonaid, empresa vinculada à seita Raeliana que afirmou na sexta-feira ter feito nascer o primeiro clone humano, informou que pode abrir um laboratório no Rio Grande do Sul. O objetivo declarado pela empresa seria atender a demanda de casais estéreis do Brasil, Argentina e Uruguai. O porta-voz da Clonaid na América Latina, David Uzal, declarou o interesse por um laboratório no Sul do Brasil ao jornal Zero hora, de Porto Alegre. Se depender da presença de algum nome forte da Clonaid, o laboratório no País pode estar próximo. David Uzal está no Rio Grande do Sul para preparar a visita da francesa Brigitte Boisselier, que fez o anúncio público do suposto nascimento do primeiro clone humano na sexta-feira. Uzal diz que Boisselier vem ao Brasil em março.?É importante que tenhamos um laboratório em cada continente?, disse ele. ?Chegaram muitos pedidos de casais estéreis do cone sul. Tivemos pedidos da Argentina, do Uruguai e do Brasil. Por agora são somente contatos?, afirmou o porta-voz da Clonaid. O porta-voz disse que um casal brasileiro está na lista de espera por um bebê clonado, que poderá nascer no fim de 2003 ou começo de 2004. David Uzal diz que pelo menos 50 gaúchos fazem parte do movimento raeliano, a seita que fundou a Clonaid e que acredita que a espécie humana é fruto de experiências genéticas de extra-terrestres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.