Clã dá nome a ponte, avenida e rodoviária

Até neta de senador, então com 6 anos, batizou escola no Maranhão

Rosa Costa e Felipe Recondo, O Estadao de S.Paulo

08 de março de 2009 | 00h00

A tentativa de impor o culto ao clã Sarney ocorre em todos os locais do Maranhão, sobretudo em São Luis. É na capital do Estado que estão a maternidade Marly Sarney, o Fórum Desembargador Sarney Costa, o Tribunal de Contas Palácio Roseana Sarney, a Ponte José Sarney, a Rodoviária Kiola Sarney (mãe do senador), a Avenida José Sarney e o Fórum trabalhista José Sarney. Para morar há três vilas "Sarneys": Vila Sarney Filha, Vila Kiola e Vila Roseana Sarney.Há, ainda, as escolas Roseana Sarney, Marly Sarney e José Sarney. A homenagem se estendeu até mesmo a uma neta do senador, que na época tinha 6 anos. Fica no município de Bom Jardim e se chama "Escola Fernanda Sarney". A família comandou o Maranhão por 37 anos. O Estado é mais pobre do que Alagoas, conforme o ranking do índice de Desenvolvimento Humano (IDH).Além de todos os prédios públicos com seu sobrenome, Sarney ainda é o único ex-presidente que, em vida, já conta com seu mausoléu. Em 1990, o então governador Epitácio Cafeteira, hoje senador pelo PTB, doou à família Sarney o Convento das Mercês, um prédio do século XVII tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional. Neste caso, Sarney não precisou exercer pressão alguma. O local passou então a se chamar Convento das Mercês Memorial José Sarney. Em entrevista concedida em 2005, Sarney disse que o local poderá se tornar futuramente um "ponto de peregrinação".José Sarney foi deputado, governador e presidente da República no período de 1985 a 1990, quando substituiu Tancredo Neves, morto antes de tomar posse. Está no quinto mandato de senador. Roseana Sarney começou a carreira política em 1990, eleita deputada federal. Foi governadora do Maranhão de 1994 a 2002 e exerce o primeiro mandato como senadora. Se forem recusados os recursos do atual governador Jackson Lago para reverter a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cassou o seu mandato, ela governará o Estado pela terceira vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.