Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Cirurgia teve complicações, mas Alencar reage bem

O médico Raul Cutait, responsável pela cirurgia de extração da vesícula a que foi submetido o vice-presidente José Alencar, 72 anos, avaliou há pouco que o paciente reagiu bem, apesar de algumas complicações ocorridas durante o procedimento cirúrgico. Ele foi internado às pressas durante a madrugada no Hospital Sírio Libanês, com o diagnóstico de colicistite aguda, um quadro de inflamação da vesícula provocada pelo surgimento de cálculos.Alencar não poderá receber visitas dentro de dois dias.A cirurgia, iniciada às 11 horas, durou mais do que as duas horas inicialmente previstas. O término da cirurgia foi anunciado às 14h55 pelo hospital.AderênciasSegundo Cutait, Alencar apresentou um quadro de aderências internas resultantes de outras cirurgias, o que acabou provocando a demora. Ele também apresentou um pequeno sangramento no fígado, que o médico considerou normal pela proximidade entre os dois órgãos."O vice-presidente se comportou muito bem durante a operação e está se recuperando. Trata-se de uma cirurgia comum que pode ser necessária em qualquer idade", tranquilizou o cirurgião.Cutaiti foi chamado na sexta-feira ao Rio de Janeiro para examinar Alencar e recomendou sua transferência para São Paulo, a fim de operá-lo. Segundo o deputado federal João Malta (PL-AL), que esteve no Sírio Libanês para se informar sobre o estado de saúde de Alencar, o vice-presidente sofreu os primeiros sintomas da colicistite em Uberaba (MG), onde sentiu fortes dores abdominais, e de lá foi transferido para Belo Horizonte e daí para o Rio.VisitaAntes da cirurgia, Alencar foi submetido a uma avaliação pelo cardiologista Roberto Kalil, médico particular do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O presidente, que passou o dia em Brasília, ligou pela manhã para o hospital e conversou com Alencar.Lula poderá visitar Alencar a partir deste domingo, conforme possibilidade que já está sendo tratada pelas assessorias do Palácio do Planalto e do Sírio Libanês.Entre os parentes que acompanharam a internação de Alencar estava o filho Josué Gomes da Silva, presidente da Coteminas, empresa controlada pela familia do vice-presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.