Ciro usa blog do filho para defender Patrícia e atacar Luizianne

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE), umdos potenciais candidatos às eleições presidenciais de 2010,usou nesta segunda-feira o blog de seu filho para protestarcontra a retirada de sua imagem e do presidente Luiz InácioLula da Silva da campanha de sua ex-mulher Patrícia Saboya(PDT) Em vídeo postado por seu filho Ciro Saboya Ferreira Gomesno You Tube e no blog "luzcameraeleicao", Ciro comenta adecisão da Justiça Eleitoral, que atendeu representação dacampanha de Luizianne Lins (PT). O deputado critica os autoresda iniciativa, sem citar nomes. Com 3 minutos e 43 segundos, o vídeo simula uma conversaentre o deputado e o filho Cirinho, como é conhecido, em queele pergunta ao pai como é essa história dele não poder maisaparecer no programa da mãe Patrícia Saboya. Sentado no degrau de uma escada, no interior de um imóvel,Ciro reclama da iniciativa de um advogado que entrou com aação, e diz que acredita que a Justiça vai rever a sua decisão. O parlamentar lembra que Patrícia sempre esteve com ele aolado do presidente Lula nas horas mais difíceis "para protegeraquilo que era necessário defender, que era a moral dopresidente Lula, e por isso ele tem um grande respeito pornós." O filho pergunta então se ele continuará a apoiar a mãe.Ciro diz que continuará ao lado de Patrícia por considerá-la amais preparada e por entender que a administração de Fortaleza"é uma fuleragem." Em referência à prefeita Luizianne, Ciro diz que "o bichomais parecido com coronel é uma pessoa que quando tá debaixo écontra a censura, quando tá debaixo é contra os poderosos,contra a perseguição, e depois, porque é despreparado, selambuza com o poder e começa a ser coronel, a ser perseguidor efazer censura ao outros." Ao final do vídeo Ciro diz que não aceita essa decisão eque a história de Patrícia pertence a ela. "Ela tem o direitode contar essa história e o coronelzim de saia ou de botina vaiter que engolir isso aí," afirma o parlamentar. A assessoria de imprensa da candidata Luizianne Lins disseque não vai se manifestar sobre o assunto. "Provocação nãomerece resposta", disse o assessor Demétrio Andrade.(Por Clara Guimarães)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.