Ciro revela pressão sofrida por Palocci na reforma tributária

O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, disse hoje queo ministro da Fazenda, Antonio Palocci, durante a negociação da reforma tributária, foi pressionado por governadores a aceitar a pulverização do Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional, sob pena de o governo não conseguir aprovar outros pontos importantes. Em palestra para empresários na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Ciro Gomes contou que Palocci concordou com a proposta dos governadores durante uma discussão que já entrava ?a madrugada?. Para o ministro, a divisão dos recursos do fundo por todos os Estados ?é um equívoco e não vai resolver o problema de ninguém?, pois dará R$ 5 milhões mensais a cada estado. ?Os governadores condicionaram. Ou (Palocci) entregava para eles o fundo pulverizado ou eles ameaçavam pesar nas suas bancadas para não votar a reforma tributária. Me disse o Palocci que foi numa madrugada, ele cansado, não tinha como fazer e disse ?ok, tá certo?. Ele me autorizou a contar isso, sabe que de fato era um erro e estamos na luta para recompor isso. Mas é uma luta de convencimento, não é para vencer ninguém. O benefício é para os governadores?, disse o ministro em entrevista depois da palestra. Ciro Gomes não citou nomes dos governadores. Disse que a idéia original do fundo era financiar projetos que dessem prioridade às regiões mais pobres, sem divisão prévia entre Estados determinados. Seriam R$ 2,3 bilhões, segundo o ministro, no Orçamento deste ano. ?Para minha desagradável surpresa, os governadores do Norte, Nordeste e Centro Oeste fizeram um pacto com Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo e resolveram que o melhor destino é dividir para cada um deles. Meu companheiro ministro Palocci me confessou que (o acordo) foi extraído dele na madrugada, teve que concordar com isso? disse o ministro aos empresários. O formato do fundo de desenvolvimento está emperrado no Congresso e ainda não foi votado. A proposta reserva 2% do que for arrecadado no Imposto de Renda e no Imposto sobre Produtos Industrializados para políticas de desenvolvimento regional. Ciro Gomes disse que vai tentar voltar à proposta original do governo. ?Os recursos deveriam ser concentrados nas macrorregiões mais pobres?, disse o ministro, que propõe que os planos financiados pelo Fundo de Desenvolvimento Regional sejam aprovados pelos governadores em acordo com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Sobre a pressão dos governadores para dividir os recursos entre todos, o ministro afirmou: ?Não condeno, nem ataco, nem critico. Apenas considero um equívoco histórico dos meus amigos (governadores) que estão querendo, como é razoável, mais recursos para melhorar o desempenho de seus estados e eu sou solidário com isso. Mas é um equívoco porque pulverizado o fundo nacional não vai resolver o problema de ninguém?, afirmou Ciro Gomes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.