DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO - 2/8/2021
DANIEL TEIXEIRA/ESTADÃO - 2/8/2021

Ciro Gomes retoma negociações com União Brasil

Conversas estão avançadas em cinco Estados; presidenciável diz que, se eleito, governo recomprará ações da Petrobras

Rayanderson Guerra, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2022 | 21h30
Atualizado 29 de março de 2022 | 10h13

RIO — O ex-ministro e presidenciável Ciro Gomes (PDT) e o presidente do partido, Carlos Lupi, afirmaram nesta segunda-feira, 28, que retomaram negociações com o União Brasil em busca de uma aliança para a eleição deste ano. De acordo com Lupi, o partido tem acordos avançados com a nova legenda, fusão do PSL e DEM, em cinco Estados: Bahia, Maranhão, Ceará, Goiás e Mato Grosso. 

"Eu vejo o Ciro como a nova via. Nada disso de terceira via. Voltamos a conversar com o União Brasil na semana passada. Temos alianças em Estados estratégicos. Estamos juntos no Maranhão, provavelmente no Ceará, Goiás, Mato Grosso, na Bahia e queremos essa aliança no Rio", disse Lupi. 

O pré-candidato ao Planalto diz que não vê empecilhos em negociar uma aliança com o presidente do PSL, Luciano Bivar, mas a conversa ainda precisa avançar a nível nacional. Na semana passada, Ciro e Lupi almoçaram com Bivar e o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, dois dos principais nomes da nova legenda. Uma parte do União Brasil defende a aproximação com o pedetista. 

Para selar o acordo, Ciro e Lupi aguardam uma sinalização dos líderes, e conversam reservadamente com integrantes da nova legenda nos Estados. No Rio, a cúpula do PDT aposta na aliança com o prefeito da capital, Eduardo Paes (PSD) e pressionam para que o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves seja o escolhido para liderar a chapa ao governo fluminense. 

Ciro fala em recomprar ações da Petrobras

Horas após o presidente Jair Bolsonaro demitir o general da reserva Joaquim Silva e Luna do comando da Petrobras, Ciro afirmou que "Bolsonaro especializou-se em entupir com mentiras e enganação aquilo que é responsabilidade dele". O pedetista, que  participou da cerimônia de filiação de novos militantes ao PDT, disse ainda que caso eleito, pretender revogar a política de preços por paridade de importação (PPI) da Petrobras e ordenar a recompra, pelo governo, das ações de acionistas minoritários até que a companhia seja a detentora de 60% do capital total. As medidas serão tomadas por meios de dois editais que o pedetista pretende convocar nos primeiros dias de governo. 

A PPI é uma política orientada pelas flutuações do preço do barril de petróleo no mercado internacional e pelo câmbio, como o preço do dólar. A alta da moeda no mercado brasileiro tem sido um dos motivos que tem levado o preço dos combustíveis aos atuais patamares. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.